Tabernáculo da Fé

A Mensagem do Profeta Elias de Malaquias 4:5,6

Profeta Elias

A Palavra vem ao Profeta

“Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo a seus servos, os profetas” – Amós 3:7

Cada vez que Deus tem falado Sua Palavra, o fez através de um profeta. Sempre foi assim. Esta é uma verdade comprovada por toda Escritura.

Enoque foi um profeta do tempo antediluviano. Deus lhe falou Sua Palavra, e ele falou de eventos que ainda estão por acontecer. Enoque falou da Segunda Vinda do Senhor quando ainda faltavam vários séculos para a primeira se realizar. Logo, três gerações depois de Enoque, Deus levantou Noé, a ele falou da situação espiritual do mundo, mandou que fabricasse uma arca e lhe deu a mensagem sobre o iminente juízo do dilúvio. Quando chegou o tempo de Deus libertar a Israel do jugo egípcio, Ele levantou a Moisés e lhe falou Seu plano, e pôs em Moisés a Palavra para aquela época. Assim Moisés chegou a ser a boca de Deus para o povo. Ele foi o instrumento pelo qual Deus falou Seus mistérios e Sua vontade. Depois que o povo de Israel se estabeleceu na terra que o Senhor havia prometido, Deus enviou profetas para corrigir o povo. Entre eles esteve o grande profeta Samuel, sendo o último dos juízes, e quem ungiu o primeiro rei de Israel.

E assim muitos outros como Elias, Isaias, Jeremias, Amós, Daniel. Estes homens como profetas tiveram a Palavra de Deus para suas respectivas épocas. Eles falaram em nome do Senhor, a mensagem para seu dia. Esta é a maneira que Deus estabeleceu segundo as Escrituras para falar ao seu povo.

“E todo o povo viu os trovões e os relâmpagos e o sonido da buzina, e o monte fumegando; e o povo vendo isto, retirou-se e pôs-se de longe. E disseram a Moisés: Fala tu conosco e ouviremos; e não fale Deus conosco para que não morramos.” – Êxodo 20:18 – 19

Por estas Escrituras vemos que o povo não pode suportar a voz direta de Deus. Portanto, pediram a Moisés que chegasse à presença de Deus e que escutasse as palavras que Deus tinha para eles. Esta atitude do povo foi aprovada por Deus, sendo assim, você não consegue ver Deus falando diretamente ao povo, e sim por meio de um profeta. Deus estabeleceu ali que Sua Palavra viria sempre através de um profeta.

E isto é o que tem acontecido sempre. Cada profeta de Deus trouxe a Palavra revelada para o momento em que havia de ser manifesta. Cada um deles trouxe a porção para sua época, até que apareceu João Batista, o último dos profetas do Antigo Testamento, quem introduziu a Cristo, a plenitude da Palavra. Os profetas anteriores tiveram porções da Palavra, mas Cristo foi a plenitude da Palavra. Cristo foi o Profeta por excelência com toda a revelação de Deus.

A dispensação para os judeus se encerrou com o maior dos profetas hebreus, João Batista, de quem Jesus disse:

“Eu vos digo que entre os nascidos de mulher, não há maior profeta do que João Batista; mas o menor no reino de Deus é maior que ele” – Lucas 7:28. O Senhor o identificou como o profeta anunciado em Malaquias: “Este é aquele de quem está escrito: eis que envio o meu anjo diante de tua face o qucà preparará diante de tí o teu caminho” -Lucas 7:27

Foi João quem introduziu o Messias a Israel. No entanto os líderes religiosos não deram crédito, antes o deixaram e fizeram dele tudo o que quiseram. Porém estava anunciado nas Escrituras que João viria primeiro preparando o caminho do Senhor, mas o mundo religioso daqueles dias mesmo tendo as Escrituras, não o recebeu. Ainda que os profetas não disseram que se chamaria João, porém a vindicação de Deus em sua vida e o ministério provava que aquele era o anjo que havia de vir antes do Messias. Aqueles líderes religiosos, junto com o povo, estavam cegos para com a Palavra e para com a obra que Deus estava fazendo em volta deles mesmos. Eles esperavam o profeta e o Messias, porém quando apareceram, os rejeitaram. Por que recusaram aceitar? Era porque aqueles religiosos estavam fora da Palavra e estavam apoiados em suas próprias interpretações. O ensinamento desse profeta não era de acôrdo com as crenças religiosas, porque um profeta não vem congratular-se com as organizações religiosas, e sim para trazer a Palavra de Deus.

João Batista não saiu dos fariseus, nem dos saduceus, e nem de nenhuma organização religiosa de seu dia, porque Deus nunca levantou um profeta de uma organização religiosa. Ele sempre chamou homens separados das organizações humanas; porque um homem ligado a uma organização é impossível que seja um profeta de Deus, porque seu contato com a denominação o faria negar a verdade da Palavra, pois teria que concordar com os ensinamentos de sua denominação, mesmo que a Palavra de Deus ensine o contrário. Deus sempre chamou homens separados completamente destes sistemas humanos. João Batista foi tomado do deserto; Amós da frente do gado; Eliseu do campo; Moisés da frente das ovelhas, e assim por diante. Deus chama o homem de onde Ele quer e envia com Sua Palavra, assim como fez com Elias, que ninguém conhece sua geração, nem mesmo quem foram seus pais; somente sabemos que era um tisbita e nada mais.

Deus nunca envia profetas quando tudo está bem, e sim quando entre o povo as coisas estão fora e contrárias à Palavra de Deus. Então o profeta vem com a Palavra cortante e penetrante para descobrir tudo que seja contrário à verdade de Deus; porém os religiosos não podem aceitar tal exortação, porque esta atinge fortemente seus costumes e crenças nos quais estão estabelecidos.

E assim que aparece o mensageiro, tem que ser recusado porque aqueles estão apoiados em suas crenças antigas.

Se você é uma semente de Deus, sem dúvida já se deu conta da condição espiritual do mundo hoje que a sí mesmo se chama cristão, assim também da necessidade de um profeta para tirar os verdadeiros filhos de Deus da confusão denominacional que impera neste tempo.

Qualquer pessoa que lê as Escrituras com revelação divina, pode se dar conta da hora em que estamos vivendo, porque todos os eventos anunciados para este tempo já estão presentes. Hoje Israel já está em sua terra demonstrando ser uma nação forte; vemos a multiplicação da maldade em todas as fases da vida humana; o mesmo pode se dizer quanto à ciência, a qual se tem multiplicado em todos os aspectos; a frieza nas igrejas não se pode negar, a menos que seja uma pessoa insensata; as igrejas estão mundanas e convertidas em clubes religiosos; os chamados cristãos se conformam com os costumes do mundo em todos os aspectos de suas organizações religiosas; e muitas religiões hoje estão convertidas em negócios lucrativos. Esta é a apostasia dos últimos tempos. Sem dúvida que esta condição do mundo e da igreja é um prognóstico das proximidades do juízo de Deus – da grande tribulação. Porém o sinal mais importante do tempo do fim é a presença do profeta que Deus prometeu enviar, antes deste juízo, o qual restaurará todas as verdades de Deus que os homens têm pervertido no transcurso dos séculos.

Eis que vos envio o profeta Elias antes que venha o dia grande e terrível do Senhor – Malaquias 4:5.
E Jesus respondendo disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas – Mat. 17: 11

Esta é a restauração tão ignorada por este mundo religioso enriquecido por suas conquistas materiais. É o sinal em que podemos concluir o tempo em que estamos vivendo e a proximidade da vinda do Senhor, pois as Escrituras dizem:

O qual convém que o céu contenha até os tempos da restauração de tudo, dos quais falou Deus pela boca de todos os santos profetas desde o princípio. Atos 3:21.

Este profeta Elias anunciado para esta era, já esteve na terra com sua mensagem restauradora, porém a maioria ignora tal acontecimento; portanto se repetiu o mesmo caso que sucedeu com João Batista, o precursor da primeira vinda do Senhor.

“Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram tudo que quiseram; assim farão padecer também o Filho do homem. ” Mateus 17:12 Irmão, abra seu coração à Palavra de Deus porque é demasiadamente curto o tempo. Amém.

“Crede no Senhor vosso Deus e sereis seguros; crede nos seus profetas e sereis prósperos” – II Cron. 20:20.

Nas Sagradas Escrituras vemos claramente os sinais que nos indicam que temos chegado ao tempo do fim. Por outro lado se levantam contra a mensagem e contra o profeta e o resistem como Janes e Jambres resistiram a Moisés.

Assim sucedeu no Velho e Novo Testamento.

Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido; vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim, vós sois como vossos pais.
A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora fostes traidores e homicidas – Atos 7:51 – 52.

Agora acontece o mesmo, porque sempre esta foi a regra: Deus envia Sua Palavra através de Seu profeta e os religiosos estabelecidos em suas crenças e costumes antigos, resistem e não a recebem; porém Deus não muda Seu plano, pois esta é a maneira estabelecida por Deus para falar ao Seu povo.

A dispensação para os judeus terminou com a presença de um profeta e uma mensagem, a qual os religiosos não receberam. Neste mesmo tempo teve começo a dispensação gentílica com o nascimento da igreja.

Agora quando se está encerrando com a última dispensação gentílica, com a última era da igreja, a história volta se repetir: Deus enviou um profeta neste tempo, com uma Mensagem que tem sido um machado posto à raiz das árvores, desta vez com o alarido que está preparando o povo do Senhor para o arrebatamento: Deus sempre repete Sua maneira de operar porque Ele não muda.

Portanto, nessa era tem enviado um profeta com uma mensagem e abundante vindicação divina. Mesmo assim a grande maioria do mundo religioso não o recebeu; porém a semente predestinada o recebeu e está se nutrindo com sua mensagem.

O dia que há de vir ardendo como o forno, no qual os que fazem maldade serão como a estôpa, e o juízo da grande tribulação, o grande e terrível dia do Senhor, está perto porque Deus anunciou que antes deste terrível evento enviaria o profeta Elias, o qual prepararia o povo que há de ser livre deste iminente juízo. “Eis que eu vos envio o profeta Elias antes do grande e terrível dia do Senhor e ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos aos pais” – Mal.4:5 – 6.

Quando apareceu João Batista os judeus estavam esperando Elias, portanto lhe perguntaram: “És tu Elias?” disse: “Não sou.” Porque em verdade ele não era o Elias pelo qual eles perguntavam; aquele que havia de vir antes do grande e terrível dia do Senhor. Ele não era o profeta de Malaquias quatro e sim o mensageiro de Malaquias três.

Não obstante, Jesus o identificou como Elias, porém, o mesmo Deus ordenou que seu nome fosse João. De modo que os judeus estavam esperando Elias, porém se apresentou um homem chamado João, com o Espírito e Virtude de Elias; e eles não o receberam, pois o nome que tinha (João); o lugar de onde procedeu (deserto); sua mensagem forte contra os sistemas religiosos de sua época, foi tropeço para os religiosos daquele tempo. No entanto este era o Elias que havia de vir para os judeus antes da primeira vinda do Senhor. Podemos ver nas Escrituras que depois do ministério de Elias, o Espírito repousou sobre Eliseu (II Reis 2:15), logo sobre João Batista (Lucas 1:17); depois haveria de vir antes da grande tribulação e por último segundo a promessa de Apocalípse 11.

De modo que cinco vezes haveria de estar presente sobre a terra o ministério deste homem. Porém não foi tal coisa como reencarnação, e sim Deus manifestando sobre a terra o mesmo ministério de Elias.De modo que cinco vezes haveria de estar presente sobre a terra o ministério deste homem. Porém não foi tal coisa como reencarnação, e sim Deus manifestando sobre a terra o mesmo ministério de Elias.

O mesmo que se pode dizer acerca do Elias anunciado para este tempo do fim. Malaquias disse que Elias converteria o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos aos pais. Em verdade aqui estamos em volta de um duplo ministério. Porque sabemos que João Batista converteu o coração dos pais aos filhos, pois assim disse o anjo a Zacarias:

Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher dará à luz a um filho, e lhe porás o nome de João; e terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão em seu nascimento. Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe; e converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus e irá adiante dele no Espírito e virtude de Elias para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos; com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto. Lucas 1: 13-17.

Porém o Anjo não disse a Zacarias que João converteria o coração dos filhos aos pais, porque isso se referia ao Elias que haveria de vir antes da Segunda Vinda do Senhor. Quando o Anjo falava a Zacarias, citando a profecia de Malaquias, mencionou somente a parte que correspondia ao ministério de João, e ali se deteve, porque a outra parte pertencia ao Elias que viria como precursor da Segunda Vinda do Senhor. O mesmo Senhor falando de João como Elias daquele tempo, também falou do Elias que haveria de vir antes da Sua Segunda Vinda para restaurar todas as coisas:

E os seus discípulos o interrogaram dizendo: Porque dizem as Escrituras que é mister que Èlias venha primeiro?
E Jesus respondendo disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas;
Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram tudo que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do homem – Mateus 17:10 – 12.

Vemos nesta porção das Escrituras, que o Senhor fala em dois tempos gramaticais em relação a Elias: Um já veio (passado) que foi João Batista; e o outro haveria de vir (futuro) para restaurar todas as coisas. Temos que entender que o Senhor não está procurando alterar a gramática, nem tão pouco brincando com as palavras, mas sim falando de um Elias que estava no futuro – “virá primeiro e restaurará todas as coisas” – e de outro que estava no passado -”Elias já veio e não o reconheceram.”

Aqui temos os dois homens com os dois ministérios profetizados em Malaquias capítulo quatro: “converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos aos pais.” Então não há dúvida que Elias tinha que vir antes da grande tribulação, porque havia uma obra a levar a consumar: “converterá o coração dos filhos aos pais”; pois a outra parte desse ministério já estava realizada por João: “converterá o coração dos pais aos filhos.” João preparou o coração dos pais para que Jesus pudesse dar boas vindas aos filhos ao entrar no redil. De modo que aqueles homens, os pais da igreja primitiva, foram preparados por João para que recebessem a Cristo, a Palavra; mas o Elias desta era haveria de converter os filhos dos últimos dias à fé dos pais do dia de Pentecostes. Este profeta prepararia os filhos para darem boas-vindas a Jesus, isto é , sua mensagem levaria os verdadeiros filhos de Deus à fé primitiva dos apóstolos e profetas; preparando assim para a vinda do Senhor. De modo que este Elias não é João Batista . Então podemos ver pelas Escrituras que o mensageiro de Malaquias três – João Batista – não é o mesmo profeta de Malaquias quatro, ainda que João e esse profeta da última era tiveram neles o mesmo Espírito que esteve em Elias. De modo que aqui há dois! Um que veio antes da primeira vinda do Senhor para converter o coração dos pais aos filhos e outro antes da segunda vinda do Senhor para converter o coração dos filhos aos pais, isto é, levar os filhos à fé dos apóstolos. De modo que num só versículo das Escrituras achamos dois ministérios com centenas de anos de distância um do outro.

Como exemplo disso temos a mensagem que o Senhor deu na Sinagoga de Nazaré.

E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler.
E foi-lhe dado o livro do profeta Isaias; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito:
O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração.
A apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos cegos; a pôr em liberdade os oprimidos; a anunciar o ano aceitável do Senhor.
E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele.
Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta escritura em vossos ouvidos. Lucas 4: 16-21.

O rolo que deram ao Senhor para ler, corresponde hoje ao capítulo 61 de Isaias; porém o Senhor leu somente o versículo primeiro e metade do segundo, e ali parou.

Então podemos notar que o Senhor não leu a parte do versículo dois de Isaias 61, onde fala do dia da vingança do Nosso Deus, porque em verdade faltavam muitos anos para aparecer o profeta que anunciaria este dia da vingança, grande e terrível dia de Jeová, a grande tribulação. Então o Senhor Jesus se deteve ali onde correspondia a seu ministério para essa ocasião, porque a outra parte do versículo não era para aquela hora, e sim, para vários séculos depois.

Assim fica demonstrado que numa só porção das Escrituras, Deus pode encerrar eventos que estão distantes centenas de anos um do outro. Porém a mente sem revelação se confunde porque depende do raciocínio humano; e desta maneira nunca poderão saber os mistérios que Deus tem posto em Sua Palavra. A mente humana consegue ver um só Elias, porém Jesus fala de um no passado e de outro no futuro.

O Elias desta era restaurará todas as coisas antes da vinda do Senhor. Isto está em perfeita harmonia com o que Pedro disse sob a inspiração do Espírito Santo:

E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado.
O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio. Atos 3:20-21.

Em outras palavras o Senhor Jesus não virá sem que antes venha o tempo da restauração de todas as coisas. Porém, quem trará esta restauração? O próprio Senhor respondeu esta pergunta:

Elias virá primeiro e restaurará todas estas coisas. Mateus 17:11

Antes da Vinda de Cristo para o arrebatamento de Seu povo, tinha que vir um mensageiro com o Espírito e Virtude de Elias, para preparar o povo tirando-o de todos os horrores denominacionais, e separando-o de todos os costumes e tradições contrárias à Palavra de Deus. Esta é a conversão dos filhos à fé dos pais, o que significa deixar todo costume e tradição que têm sido acrescentados à fé e prática dos apóstolos. O mensageiro desta era tinha que ser um profeta. Ele tinha que exercer um ministério profético baseado somente na Palavra de Deus. Este profeta do fim é o anjo à sétima e última era da igreja. E sua mensagem é a revelação que faz manifesto os segredos de Deus.

Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar a sua trombeta, se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas seus servos. Apocalípse 10:7

Esta é uma profecia cumprida, pois os mistérios de Deus têm sido consumados através do ministério do irmão William Marrion Branham, ainda que muitos o ignorem.

Este profeta foi enviado por Deus para esta era e tem pregado a mensagem que Deus lhe ordenou: a Palavra pura de Deus tal qual saiu da boca dos profetas e apóstolos. Com isto tem preparado o povo de Deus, cumprindo assim a parte mais importante de seu ministério: trazer os predestinados de volta à Palavra de Deus. E isto é o que tem sucedido nesta

E assim, pelo profeta desta era, os filhos têm se convertido à fé dos apóstolos; a Palavra de Deus tem sido restaurada à sua pureza original; tem sido trazida à luz a falsidade das crenças religiosas e a verdadeira condição das igrejas chamadas cristãs . O irmão Branham desafiou a muitos líderes religiosos em diferentes ocasiões para mostrar ao povo o supérfluo de suas religiões. Em cada ocasião o poder de Deus baixou e se manifestou diante de milhares de pessoas.

Ainda que muitos não tenham sabido nem conhecido estes fatos, isto não anula sua veracidade; pois há muitos que ignoram os milagres da Bíblia e seu conteúdo, mas isto não anula a verdade de Deus.

O irmão Branham condenou tenazmente a imoralidade da mulher, a qual tem chegado a ser o centro da corrupção nesta geração.

Os judeus estavam esperando Elias no tempo quando João se apresentou; não o receberam como profeta mesmo estando vindicado pelas Escrituras. Por causa das interpretações que tinham não receberam nem a João e nem a Cristo. Hoje tem acontecido o mesmo ; a história tem se repetido, porque as Escrituras anunciam um mensageiro antes da grande tribulação, para preparar o povo do Senhor para o arrebatamento. Deus cumpriu Sua promessa enviando o profeta desta era, mas o mundo religioso de hoje não o recebeu. Porém, como no passado houve aqueles que creram em João e receberam a Cristo -a Palavra – hoje também tem aqueles que são ovelhas predestinadas por Deus para ouvirem Sua Voz através de Seu profeta e estes estão se alimentando e se preparando com sua mensagem.

Conheça algumas pregações feitas pelo Profeta de Deus para esta era: Pregações do Profeta Elias
Conheça o site oficial do Profeta de Deus para esta era: William M. Branham
Conheça o site oficial da Mensagem do Profeta no Brasil: A Palavra Original

Eis que vos envio o profeta Elias antes que venha o dia grande e terrível do Senhor. Mal. 4:5. Em verdade Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas. Mateus 17:11